sábado, 23 de julho de 2016

Confissões de uma mãe real.

Oie tudo bem?

Confesso que quando estava grávida eu achava que ia ser uma mãe diferente, acho que mesmo antes de engravidar eu pensava isso, mas da imaginação a prática são coisas diferentes.

Então hoje vou fazer as confissões dos meus momentos menasmãe e espero que vcs achem graça e não que sou louca ok?!

"Eu já deixei a Stella em frente a tv/notebook para poder ficar um tempo de bobeira no facebook/instagram/whatsapp/snapchat"

"Eu já deixei ela um dia sem tomar banho porque estava muito frio"

"Eu já deixei ela dormir com a roupa que saiu para não acordar hora que fosse colocar pijama"

"Um dia que ela não queria comer nada eu deixei ela comer bolacha na hora do almoço"

"Eu já falei que ia no banheiro para meu marido para ter uns momentos de paz"

"Eu coloco ela para dormir comigo e o pai na cama dela para poder ter uma noite mais tranquila"

"Eu já dei desculpa que ela estava chata para não ir em algum compromisso social que eu não queria ir"

"Idem a anterior falei que ela estava com sono para ir embora"

"Já falei para ela que a língua dela ia cair para ela parar de tirar a língua para fora"

"Já fingi que estava dormindo hora que ela me chama para ver se ela dormia mais" ( e nunca deu certo)

"Já dei risada de algumas artes dela em vez de repreender ela"

"Quando vou fazer almoço abro o armário e deixo ela brincar com as panelas para poder ter paz"

"Já mandei ela para casa da avó para descansar"

Bom que eu me lembro isso.

E ai quais os momentos de vcs? Deixem nos comentários.

Beijos e até a próxima.

terça-feira, 5 de julho de 2016

Sobre frustração materna.

Oi oi oi...

Sabe aquela maternidade colorida, onde os filhos dormem a noite toda, comem só coisas saudáveis e fazem atividades pedagógicas todos os dias? Aqui ela não existe muito não.

Eu sempre li muito, e quando lia sobre dificuldades da maternidade confesso que pensava comigo não vai ser assim (quemnunca?). Mas a verdade que por mais que vc ame seu filho muito, existe inúmeros desafios. 

Aqui a frustração vem da alimentação. Eu nunca fiz a linha bicho grilo de coisas naturais e orgânicas não, mas mesmo assim procurei fazer a IA da Stella da forma mais saudável possível. E foi muito bem.

Stella nunca foi de comer muito, nem de engordar muito, mas ela comia até razoavelmente até seus 12 meses. Comia bem nas refeições principais e estava começando a passar para a comida da casa. Ai acabou.

Gente eu me sinto tão tão mal com o fato da Stella não comer que evito tocar no assunto. Depois que ela fez um ano ela ficou seletiva e se recusa a experimentar coisas novas. 

Parte disso era culpa da amamentação, porque como sempre houve livre demanda ela começou a trocar comida por leite. Outra parte se chama avó. Eu moro no mesmo terreno que meus pais, então a Stella está sempre lá, e a avó sempre dava alguma coisa fora de horário. Que criança vai almoçar se acabou de comer bolo e tomar suco?

Confesso que já chorei muito por esse quesito, me sinto muito menas mãe nesse ponto, porque as crianças que tem a idade da Stella já estão aprendendo a comer sozinha (tá eu sei que não comparar) e a minha filha só come se eu der para ela e sempre na base de muita chantagem.

Ai me perguntam ela não come nada? Come, mas ela é seletiva, não gosta de arroz, de feijão de verdura cozida. Fruta o que vir morre, ela só enjou de banana. 

Eu tinha esperança que quando ela largasse do peito ela comece melhor. Mas melhorou só uns 50%. Ela ainda come pouco e não come sozinha. O cadeirão foi abolido aqui de casa porque ela aprendeu a tirar o cinto e ficar em pé. 

Já tentei todas as técnicas da cartilha, já pesquisei mais, já me desesperei, já ameacei, já quase morri de raiva, já implorei e ainda assim essa é a pior parte da minha experiencia materna.

Até que meu marido que não se desespera por nada falou: espera que um dia ela come. E eu estou esperando.

Bjoos


quinta-feira, 23 de junho de 2016

A volta dos que não foram!!! E o desmame

Aê finalmente achei um tempo para escrever aqui. Depois de deixar o blog abandonado por quase um ano estou decidida  a voltar.

Eu acabei ficando sem meu notebook e não me entendia muito bem com o Windows do PC do marido, mas agora que já treinei bem escrevendo meu TCC e os dois últimos relatórios da faculdade hoje resolvi vir vim escrever.

Mas acabado as desculpas vou contar sobre um marco difícil na maternidade: O desmame.

Eu amamentei a Stella na minha teta de forma exclusiva, sem nunca complementar até os seis meses, e depois da IA, continuei dando o tetê dela da mesma forma. Eu nunca duvidei da minha capacidade de produzir, a Stella acordava a noite para mamar até os 15 meses e nos íamos nessa vibe muito bem.

Aí em Fevereiro desse ano me chamaram numa empresa onde tinha levado currículo no ano anterior e eu falei porque não? E fui trabalhar, mas o négocio é que trabalhava das 07 as 18 com duas horas de almoço e a Stella ficava com a avó, e a minha mãe dava tudo que ela queria, e quando eu chegava ela grudava na teta e não almoçava. Foi virando um ciclo sabe.

No fim eu acabei saindo do serviço porque não era muito o que eu queria, e eu precisava fazer os estágios. E eu comecei a notar que eu não tinha mais leite. Quando você amamenta começa a conhecer quando seu peito enche e eu não sentia mais encher. A Stella colocava na boca e em 5 minutos largava. Falei ai tem. 

E eu comecei a luta para Stella pegar a mamadeira. Ela nunca pegou, desde que ela tinha 7 meses eu tentava e nada. Eu tentei o NaN, o ninho, leite puro, com mucilon, com achocolatado e nada. Mas agora era necessário porque ela ia acabar sem mamar.


Nesse tempo meu seio direito já tinha secado totalmente. A Stella já não aceitava nem colocar a boca nele, e comigo em casa comecei a oferecer para ela mamar só duas vezes por dia. Mas a bichinha fala, e ficava "mama mamãe por favor", ai acabava que ela mamava e na hora de dormir não tinha leite e ela não dormia e ainda acordava de madrugada.

Um dia, numa semana super estressante, a Stella pediu para mamar e eu dei o peito, ela colocou a boca e falou "Acabou mamá" e foi o dia oficial do desmame. Com 1 ano e 8 meses.

Graças ao bom Deus ela acabou pegando a mamadeira (com o pai dela), e hoje mama só para dormir. Vou escrever em outro post sobre a alimentação dela porque esse assunto vai render.

E olha a carinha sapeca: