segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Mãe Integral

Eis que eu vou me tornar uma mãe e essa vai ser minha ocupação nos próximos meses.

E já contei que sai do serviço. Foi uma decisão pensada no meu bem - estar e na saúde da Stella, pois aconteceram desentendimento que me estressaram e causaram mal. Foi o famoso Assédio Moral, mas como no momento não tenho estrutura psicológica para lutar eu abandonei o barco.

Nos últimos dois meses o que mais ouvi foram críticas. Confesso que concordo com a maioria delas, já que mesmo eu ainda estou remoendo essa mudança que aconteceu. 

Eu que não tenho muito talento para dona de casa estou exercendo essa função agora, já que no papel de mãe ainda falta a grande estréia, e isso me assusta.

Meu marido, como em todas as fases, me apoiou incondicionalmente, mesmo com todas as dívidas que temos (os famoso carnês) e duas faculdades em andamento ele foi meu suporte para que eu pulasse no mar sem salva vidas, por assim dizer.


Mas o que mais me apavora nesta empreitada não é a falta de um salário (que vai fazer falta) mas FICAR EM CASA.

E olha que estou gostando, de verdade, mas tem horas que bate uma dúvida.

Eu não fui criada para isso, eu nunca me imaginei nesse papel, fora que a maternidade é um mundo novo que eu não conheço. Tudo absolutamente tudo que eu leio tem a frase: "... a maternidade muda tudo." então eu não sei bem o que esperar, por muito tempo eu fiz planos e controlei as coisas e agora me vejo sem controle de nada e vivendo situações que antes eram inimagináveis.


Não que eu esteja reclamando, a maioria dos incômodos que eu estava sentindo provaram ser decorrentes do estresse, já que tirando um ou dos episódios não tive mais enxaqueca, as dores do corpo desapareceram e até meu humor melhorou um pouco.

O que deixa preocupada é como dar conta de tudo? Meu amor graças ao pai do céu tem um emprego estável que paga bem, mas até novembro mais ou menos temos algumas parcelas que levam um dinheiro considerável e em setembro teremos a Stella.

Mas como vocês não se planejaram??

Planejamos, mas eu ficar em casa eram uma resolução para daqui 6 meses não para agora, meu salário era menos da metade da renda aqui de casa, mas ajudava.

Então nos estamos nos virando e saindo bem nessa nova etapa.

Agora vamos reaprendendo a viver, já que a maternidade dá gastos agora e vai dar  mais depois também, e eu não vou usar nossa poupança para isso.

Desculpe o desabafo, mas esse negocio de ficar em casa, não sem fazer nada já que aqui trabalho mais que em qualquer empresa, ainda é novo. Sei que daqui uns dias a minha princesa vai chegar e minha vida vai ter uma razão principal. Até lá eu vou me enxergando como Dona de casa, e gostando disso apesar das mudanças

4 comentários:

  1. É difícil mesmo, Dayanne! Fiquei em casa só os seis meses e fiquei meio maluca...Adorava ficar com a minha bebê, mas, como você disse, não estamos acostumadas a essa vida, né? Li uma vez que fomos criadas pra trabalhar, ter profissão e tal....Mas, também precisamos ser mães e às vezes isso dá um nó no coração e na cabeça! Mas, siga firme na sua decisão! O amor sempre valerá mais a pena!!! Bjoooo

    ResponderExcluir
  2. Encare como uma fase Day...sua princesa chegará em breve, e tenho certeza que o único lugar no mundo que vc não vai querer estar é longe dela...Cada coisa em seu tempo, e eu admiro sua coragem ao largar tudo já pensando no bem estar da sua baby...Muita força nessa hora...
    Bjsss
    http://agoraeuquerosermae.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Dani, tô precisando de força mesmo!!!

      Bjoo

      Excluir